quarta-feira, 31 de outubro de 2012

PREFEITO ELEITO DE SÃO LUÍS APRESENTA EQUIPE DE TRANSIÇÃO


Por Hugo Freitas

O prefeito eleito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) divulgou na manhã desta quarta (31) a sua equipe de transição, composta por uma equipe técnica de sete pessoas.

O grupo deverá acompanhar os dois últimos meses da gestão de João Castelo (PSDB) e tomar conhecimento da estrutura do governo municipal até a posse de Edivaldo no Palácio La Ravardière, que acontecerá em 1º de janeiro de 2013.

O vice de Edivaldo, Roberto Rocha (PSB), é quem comandará os trabalhos. A equipe deve elaborar um relatório detalhado sobre a situação em que se encontra todos os setores da Prefeitura de São Luís.

Segundo informou a assessoria do prefeito eleito, a equipe dará início ao processo de inovação e transparência das contas públicas que deverá marcar os quatro anos da gestão de Edivaldo Holanda Júnior à frente do Executivo Municipal.

"Vamos fazer um trabalho acurado para saber em que condições receberemos a prefeitura. Todos os nomes que estão na lista são nomes que conhecem administração, gestão e transparência. É uma equipe com perfil técnico e que vai fazer um trabalho consensual com a Prefeitura de São Luís", disse Roberto Rocha.

O vice-prefeito também requereu junto ao vereador e líder do governo na Câmara, José Joaquim (PSDB), uma audiência com o prefeito Castelo para receber dele o relatório sobre a gestão e as contas públicas. A Constituição Estadual define que este relatório deve ser emitido até 10 dias após a proclamação do resultado pela Justiça Eleitoral.

Além do vice de Holanda Júnior, constam na lista:

Délcio Rodrigues e Silva Neto: formado em Ciências Contábeis, auditor concursado lotado na Controladoria Municipal, especialista em Auditoria Governamental e atual presidente dos auditores de controle interno de São Luís;

Pedro James de Sousa Guedelha: bacharel em Direito, com pós-graduação em Direito Público, ex-diretor do IBGE no Maranhão;

Linaldo Albino da Silva: advogado, com experiência em Administração Pública;

Rodrigo dos Santos Marques: professor, formado em Relações Internacionais pela London School of Economisc (Londres), possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Dom Cabral, Mestrado em Administração Internacional pela Fundação Getúlio Vargas (Rio de Janeiro);

Welinton Resende Silva: administrador, ex-auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), auditor da Controladoria Geral da União (CGU) e instrutor do programa de Fortalecimento da Gestão Pública;

Felipe Camarão: procurador federal, ex-diretor do Procon-Ma, professor universitário e mestrando em Direito pela UFMA;

Bernardo Felipe Pires Leal: economista, ex-funcionário do Banco do Brasil, auditor de Controle Externo do TCE.

DENÚNCIA: O VLT DE CASTELO PAROU DE VEZ


Por Hugo Freitas

O blog recebeu agora há pouco a denúncia de um leitor dando conta que os funcionários da Serveng, empresa contratada pelo atual prefeito João Castelo (PSDB) para a execução da obra de construção da estrada de ferro por onde passaria o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), retiraram as placas do local.

De acordo com a denúncia, as placas que informam sobre o valor da obra e o prazo para seu cumprimento (obrigadas por lei) foram retiradas por volta das 08h30 desta quarta-feira (31) e colocadas num caminhão da empresa.

Além disso, as máquinas que estavam sendo utilizadas na construção de um dos trechos da obra (retorno da Av. dos Portugueses) também não estão mais no local.

Desde segunda-feira (29), um dia após a derrota de Castelo nas urnas para o prefeito eleito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), nenhum funcionário da Serveng era visto no local. Com a denúncia, está explicado o porquê.

O prefeito João Castelo havia propagado para os quatro cantos da cidade, inclusive em seu horário eleitoral, que entregaria a terceira parte da obra do VLT até dezembro deste ano, independentemente do resultado das eleições. Isto não está acontecendo e, pelo visto, não irá acontecer.

Assim, fica nítido o caráter eleitoreiro da obra, disseminado pelo tucano como seu maior trunfo para tentar vencer seu oponente no segundo turno, com trechos desconectados um do outro, e feito às pressas num dos pontos de maior fluxo de veículos da cidade (rotatória do Anel Viário). Somente a Justiça Eleitoral não entendeu isso, e permitiu o uso exacerbado do VLT na campanha ilusória de Castelo.

Outra denúncia enviada por um leitor ao titular do blog foi a da paralisação da construção do novo Circo Cultural da cidade, que havia sido removido do lado do Terminal da Praia Grande, para ser realocado na Praça Maria Aragão, ao lado do Espaço Cultural, onde é realizada anualmente a Feira do Livro.


As madeiras utilizadas para demarcarem o espaço da construção estão caídas e nenhum funcionário foi visto no local depois das eleições, restando apenas uma placa informando a obra.

Mais uma vez, Castelo perde a oportunidade de se despedir dignamente de sua carreira política, aumentando seu extenso currículo de promessas não cumpridas, uma decepção grotesca para os mais de 40% da população que votou em sua reeleição.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

PALAVRAS REPETIDAS: EDIVALDO E A "PARCERIA COM ROSEANA SARNEY"


Edivaldo Holanda Júnior e seu vice Roberto Rocha

Por Hugo Freitas

Na entrevista coletiva que concedeu na tarde desta segunda-feira (28), num hotel do bairro do São Francisco, Edivaldo afirmou que irá colocar em prática todos os compromissos assumidos durante a campanha, inclusive dando continuidade às obras do prefeito João Castelo (PSDB) - garantindo serem revistas apenas as obras do VLT e do Hospital de Urgência e Emergência - além de trabalhar em parceria com a governadora Roseana Sarney (PMDB), ambos seus opositores no campo da disputa político-partidária.

"Quando falamos de abandonar as velhas práticas políticas e inserir novas, incluímos dar continuidade ao que está sendo feito. Não faz sentido assumir a prefeitura e parar obras necessárias a São Luís. Vamos, sim, dar continuidade a tudo de bom que já está sendo feito em São Luís", afirmou Edivaldo Júnior.

Sobre as relações com o Governo do Estado, o prefeito eleito foi taxativo: "A eleição acabou. É hora de desarmar os palanques. Em todas as cidades e estados, exceto São Luís, governo e prefeitura trabalham de forma institucional, mesmo que sendo adversários políticos. É necessária a parceria institucional, porque quem ganha é a população".

Na mesma coletiva, Holanda Júnior afirmou que continuará no grupo de Flávio Dino (PCdoB), mas que não é certo o nome do comunista para a disputa do Governo do Maranhão em 2014 (leia aqui).

Palavras repetidas

Edivaldo repete o mesmo discurso do falecido ex-governador Jackson Lago (PDT), quando de sua vitória sobre Roseana Sarney, nas eleições de 2006. Não há nada de novo em firmar e afirmar parcerias institucionais com opositores. Todos os que pregam o princípio da governabilidade colocam em prática tal preceito, que o diga o "deus" Lula e suas alianças anti-históricas.

Em 2006, no centro da Praça Maria Aragão lotada por milhares de pessoas que comemoravam a derrota nas urnas do "grupo sarney" (sendo este blogueiro testemunha ocular do evento) - a primeira desde que "El Bigodon" assumiu o governo estadual em 1965, com o apoio dos militares golpistas - Jackson teve a desventura de dizer que iria trabalhar em parceria justamente com "os sarneysistas", que já comandavam postos ministeriais e mandatos parlamentares na Câmara e no Senado.

Resultado: recebeu uma sonora vaia e frustrou as expectativas de todos que lotaram a praça para ver "os sarneys se mandarem pro Amapá", como bradaram as vozes entusiasmadas dos que lá estavam, em resposta à fala do finado governador.

Mais do que isso, três anos após esse desastroso discurso, Jackson foi expulso do Governo do Estado por obra e mérito dos mesmos "sarneys", que orquestraram o famoso "Golpe do Judiciário" que levou a cabo o seu mandato. Um ano depois, o governador cassado sairia definitivamente de cena, de forma melancólica, vindo a óbito por motivo de doença.

Palavras repetidas já demonstraram não surtirem efeito perante aqueles que querem a mudança de fato e não de foto. A população ficará ainda mais vigilante aos passos do novo prefeito, eleito muito mais pela péssima administração de João Castelo (PSDB) do que pelo discurso do "novo", tão pretérito quanto o fim recente da Ditadura, tão antigo quanto o pertencimento a um grupo familiar "tradicional" na política do Maranhão.

"Novos erros velhos" implicarão em nova manifestação de mudança, seja para eleger outras lideranças que ainda estão por vir, seja para dar espaço ao retorno dos antigos "dinossauros". Nesse último caso, cairá por terra o discurso de "luta contra a oligarquia", se é que já não caiu, e há tempos.

EDIVALDO NÃO CONFIRMA CANDIDATURA DE FLÁVIO DINO PARA 2014

Flávio e Edivaldo não seguem juntos para 2014?

Por Hugo Freitas

O prefeito eleito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), disse na tarde desta segunda-feira (29), que não é certo o nome do presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB) para as eleições de 2014. A declaração foi feita, durante entrevista coletiva, realizada no Hotel Holiday, no bairro do São Francisco.

Segundo Edivaldo, Dino é uma grande liderança política que irá ajudar sua gestão com o apoio do órgão federal que preside. Contudo, não confirmou o nome do comunista para a disputa do pleito de 2014 para o Governo do Estado.

"Flávio é um grande líder no Maranhão. O PCdoB nos deu apoio junto com o PSB, PDT, PRTB, parte do PPS e do PT. Flávio vai nos ajudar muito no governo federal como presidente da Embratur. Esta é uma decisão que ele tomará em 2014 junto com o conjunto de partidos", disse Edivaldo.

O discurso de Edivaldo soa estranho agora, uma vez que sua fala logo após a vitória nas urnas no último domingo (28) era de agradecimento e de projeção da mudança em São Luís para a mudança em todo o Maranhão através de Flávio Dino (leia aqui). Flávio está em Brasília e não pôde participar da coletiva de imprensa.

DEPUTADO DENUNCIA MANIPULAÇÃO DE PESQUISAS ELEITORAIS NO MARANHÃO


O deputado Marcos Caldas (PRB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (29) para denunciar a manipulação do resultado das pesquisas de opinião pública, amplamente divulgadas em todas as cidades do Estado do Maranhão, durante as eleições de 2012.

parlamentar entende que é necessário rever as pesquisas, pois elas viraram um verdadeiro comércio. Segundo ele, tem pesquisa que no mesmo dia dá uma diferença de 10 pontos para outra, tentando manipular o resultado da eleição.

Marcos Caldas citou como exemplo o Instituto Escutec, que chegou a divulgar que existia apenas quatro pontos de diferença entre os dois candidatos a prefeito de São Luís, tentando mostrar um empate técnico que nunca existiu na capital.

Por outro lado, Marcos Caldas disse que acompanhou a amostragem de outras pesquisas, como a Exata e a Data M, e observou que os dois institutos nunca erraram e sempre divulgaram a verdade sobre a preferência do eleitorado. Caldas garante que a manipulação no resultado das pesquisas aconteceu em todo Maranhão.

"Em Magalhães de Almeida uma pesquisa divulgou que o prefeito tinha 69% e o outro candidato 20%, mas quando abriram as urnas, a diferença de um para outro foi de 400 votos. Não podemos mais aceitar essas coisas. Estão tentando ganhar eleição com informações mentirosas", reclama.

Com informações da Agência Assembleia

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Zé Raimundo é afastado da TV por exibição de vídeo ilegal

Edinho Lobão, Paulinha Lobão e Zé Raimundo

Por Hugo Freitas

José Raimundo Rodrigues não irá mais apresentar o programa "Difusora Agora". A decisão foi tomada pela cúpula da TV Difusora nesta segunda-feira (29).

Os diretores da emissora do ministro Edison Lobão decidiram retirar o programa do jornalista do ar devido à exibição do "vídeo da Melissa" (como ficou popularmente conhecido), envolvendo militares e o agora prefeito eleito Edivaldo Holanda Júnior - vídeo este considerado ilegal e criminoso pela Justiça Eleitoral (releia aqui) -, o que implicou numa multa de 200 mil reais à emissora.

Em texto divulgado em seu blog, Zé Raimundo anunciou a decisão da TV Difusora e agradeceu pelo espaço que vinha tendo na grade.

Confira a íntegra do texto:

O alto Comando da TV Difusora, Paulinha Lobao e Edinho Lobao, decidiu colocar no ar, a partir de 28 de setembro de 2009, o programa Difusora Agora. O meu nome foi escolhido para ser o Ancora, com a prerrogativa de comentar os assuntos, com base no conhecimento que possuo, decorrente de 34 anos de profissão.

A partir de hoje, dia 29 de outubro de 2012, depois de 3 anos e 30 dias no ar, o Diretor Leonardo Gomes me informou que o programa saiu da grade de programação local.

Motivo alegado: a veiculação do vídeo ‘formação de milícia Edivaldo’, no Difusora Agora, o que teria resultado em uma multa de 200 mil reais para a emissora.

A responsabilidade pela exibição do vídeo fora do horário eleitoral não me diz respeito.

O meu comentário, respaldado pela decisão da Justiça Eleitoral de mandar retirar o vídeo do ar, foi tecnicamente correto, como corretas e bem fundamentadas foram todas as colocações que fiz ao longo do período de apresentação do programa.

Fica registrado o meu agradecimento por tudo o que representou, para mim, ter sido o Ancora do programa Difusora Agora.

O FIM DE UMA GERAÇÃO: CASTELO ANUNCIA SUA APOSENTADORIA POLÍTICA


Por Hugo Freitas

Aos 75 anos de idade, João Castelo (PSDB) anunciou o encerramento de sua carreira política, após a derrota para Edivaldo Holanda Júnior (PTC), o mais novo prefeito eleito de São Luís.

Em um ginásio lotado de militantes e partidários num colégio da capital, Castelo surpreendeu a todos, anunciando sua aposentadoria política. "Pretendo encerrar minha carreira política no dia 31 de dezembro. Mas até lá continuarei como prefeito de São Luís", disse.

Emocionado, o experiente político, com 41 anos de vida pública, agradeceu a todos que o apoiaram na campanha e desejou sucesso ao novo prefeito. "Eu desejo que ele seja feliz. Que ele consiga realizar tudo aquilo o que prometeu para a melhoria da cidade de São Luís".

Castelo se despediu do público, informando que vai se dedicar à família e à escrita de seu livro de memórias. "A partir de 31 de dezembro, vou poder me dedicar à realização de um sonho, que é escrever um livro com as minhas memórias de 41 anos de vida pública", finalizou o tucano.

Trajetória política

Com mais de quatro décadas dedicadas à política maranhense, João Castelo é uma das figuras mais experientes do Estado, por isso considerado nos círculos políticos como um dos últimos "dinossauros" do Maranhão, ao lado de José Sarney, Edison Lobão e Epitácio Cafeteira.

Além de prefeito da maior cidade maranhense, Castelo foi presidente do Banco do Amazônia, deputado federal por dois mandatos, governador do Maranhão, senador da República e novamente deputado federal por mais dois mandatos. Também presidiu a Empresa Maranhense de Administração Portuária, a EMAP, que gerencia o Porto do Itaqui.

Com a derrota nas urnas neste domingo (28), com uma diferença de mais de 60 mil votos (leia aqui), Castelo se tornou o primeiro prefeito da capital maranhense a não conseguir a reeleição, desde o advento dessa prerrogativa eleitoral.

A partir de 1997, quando o Congresso Nacional aprovou a Emenda Constitucional 16, que permitiu a reeleição do presidente da República, governadores e prefeitos, o finado Jackson Lago foi reconduzido ao cargo nas eleições de 2000 e o ex-prefeito Tadeu Palácio, em 2004.

Perspectivas

A aposentadoria política de João Castelo marca o fim simbólico de uma geração, a dos políticos respaldados pelas antigas oligarquias advindas dos tempos do coronelismo e fortalecidas pela Ditadura Militar (1964-1985), e o advento de uma outra, com a entrada de novas lideranças e atores no jogo político maranhense.

Assim, a eleição de Edivaldo Holanda Júnior em São Luís aponta para novas perspectivas políticas em todo o Maranhão, uma vez que a população demonstrou nas urnas que um governo que não resolva os problemas da cidade não serve para administrá-la. E isso funciona como alerta para o próprio Edivaldo, caso ele não consiga colocar em prática todas as propostas feitas em campanha.

O "novo" não pode resumir-se apenas à idade, e sim, às mudanças nas práticas políticas. O "novo" deve governar para o povo, e não para os ricos, os empresários politiqueiros; deve governar para os mais humildes e necessitados, e não para a manutenção do status quo; deve começar a administrar a cidade desde o primeiro dia de trabalho, e não apenas no fim do mandato, com obras eleitoreiras visando tão somente sua reeleição.

Daqui a quatro anos, a população ludovicense terá novamente a oportunidade de definir a permanência ou não de seu gestor. Erros repetidos implicarão em nova manifestação de mudança. Ganha a democracia quando há a participação crítica da sociedade e a rotatividade do poder.

EDIVALDO AGRADECE O POVO DE SÃO LUÍS PELA VITÓRIA

Roberto Rocha, Edivaldo Júnior e Flávio Dino

Por Hugo Freitas

Edivaldo Holanda Júnior (PTC), o mais novo prefeito eleito de São Luís (aos 34 anos de idade), com 280.809 votos (56,06% dos votos válidos), fez seu primeiro discurso no comitê central de sua campanha, no bairro do São Francisco, após a confirmação de sua vitória na noite deste domingo (28).

Edivaldo agradeceu o apoio que recebeu durante a disputa pela prefeitura. "Quero dizer muito obrigado. Agradecer a população de São Luís por ter abraçado essa candidatura. Agradecer a essa militância aguerrida e a cada um de vocês. Foram quatro meses de caminhada. Foram quatro meses de uma campanha, andando de bairro em bairro, de casa em casa, levando a mensagem de mudança para a cidade que, infelizmente, passou quatro anos abandonada", disse.

Holanda Jr. criticou a gestão do prefeito João Castelo (PSDB), ao falar sobre questões como a saúde e a educação em São Luís. "Nós acompanhamos o drama da saúde pública municipal. São Luís vive um caos. Também durante esses quatro anos mais de 100 mil crianças ficaram fora da sala de aula e mais de 70 dias de greve dos professores. Foram quatro anos de muito sufoco para a população. Abraçamos essa causa de poder mudar a cidade", ressaltou.

Edivaldo enfatizou ainda que a vitória deste domingo é o início da vitória em 2014, referindo-se à disputa pelo Governo do Estado. "No dia 28 de outubro, a população de São Luís escreve uma nova história. O Maranhão começa a mudar a partir de São Luís. A mudança que ocorrerá em 2014 começa hoje em São Luís. Essa mudança que segue com Flávio Dino", destacou o petecista.

Em sua fala, o presidente da Embratur, Flávio Dino, também ressaltou o sentimento de mudança manifestado nas urnas e nas ruas de São Luís. "Sintam o vento da mudança. Sintam essa brisa que vem do mar e que aquece o coração do nosso povo. E afirmo a vocês que, em 2014, nós vamos mudar o Maranhão para sempre, sem nenhum passo para trás. Eu tenho certeza que, com essa humildade, com esse sentimento de quem tem coragem, Edivaldo vai fazer o melhor governo da história dessa cidade, o melhor governo da história de São Luís", finalizou.

domingo, 28 de outubro de 2012

RESULTADO FINAL DO SEGUNDO TURNO EM SÃO LUÍS


Edivaldo Holanda Júnior é o novo prefeito de São Luís

Com 100% das urnas apuradas em São Luís, tem-se o resultado final do segundo turno na capital maranhense:

Edivaldo Holanda Júnior (PTC) - 56,06% (280.809 votos)

João Castelo (PSDB) - 43,94% (220.085 votos)

Com a totalização, EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR É O MAIS NOVO PREFEITO ELEITO DE SÃO LUÍS!!!


Com apenas 34 anos de idade, Edivaldo assume a tarefa de colocar a cidade de São Luís no rol das capitais mais desenvolvidas do país, tanto na economia quanto nos indicadores sociais, e de tentar apagar a péssima administração do prefeito João Castelo, que ficou conhecido como CAOSTELOdevido às inúmeras irregularidades e à inoperância em questões flagrantes e urgentes, como mais de 100 mil alunos da rede municipal de ensino fora da sala de aula durante mais de 6 meses, a poluição de todas as praias da capital, a precariedade do transporte público, a falta de propostas para o problema do trânsito na cidade, além das investigações do Ministério Público Federal sobre desvio de verbas da Educação e da merenda escolar, bem como dos processos na justiça estadual sobre improbidade administrativa, dentre outras acusações e processos a que Castelo está respondendo.


A eleição de Edivaldo nas urnas confirma o que todas as pesquisas apontaram desde o início do segundo turno na capital: vitória do petecista com uma diferença girando em torno de 12 pontos de vantagem (veja aqui). O candidato da coligação "Muda São Luís" já havia vencido no primeiro turno, com mais de 36% dos votos.

Totalização

Votos em branco somaram 2,25% (11.873 eleitores) e 3% decidiram anular seu voto (15.864). Com isso, os votos válidos chegaram a 94,75% (500.894) dos eleitores aptos a votar em São Luís.

A abstenção deste pleito chegou a 22,04%, um dos mais altos do país, o que significa que 149.439 eleitores não foram votar neste domingo e terão que se justificar perante a Justiça Eleitoral nas próximas semanas.

VOTAÇÃO FINAL: EDIVALDO É ELEITO O NOVO PREFEITO DE SÃO LUÍS


Com 99,95% das urnas apuradas em São Luís, tem-se o resultado final do segundo turno na capital maranhense:

Edivaldo Holanda Júnior (PTC) - 56,07%

João Castelo (PSDB) - 43,93%

Com a totalização, EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR É O NOVO PREFEITO DE SÃO LUÍS!!!

A eleição de Edivaldo nas urnas confirma o que todas as pesquisas apontaram desde o início do segundo turno na capital: vitória do petecista com uma diferença girando em torno de 12 pontos de vantagem.

Edivaldo já havia vencido no primeiro turno, com mais de 36% dos votos. Esta nova vitória põe fim na gestão do prefeito tucano, que ficou conhecido pelo apelido de CAOSTELO, devido às inúmeras irregularidades e à inoperância em questões flagrantes e urgentes, como mais de 100 mil alunos da rede municipal de ensino fora da sala de aula durante mais de 6 meses, a poluição de todas as praias da capital, a precariedade do transporte público, a falta de propostas para o problema do trânsito na cidade, além das investigações do Ministério Público Federal sobre desvio de verbas da Educação e da merenda escolar, bem como dos processos na justiça estadual sobre improbidade administrativa, dentre outras acusações e processos a que Castelo está respondendo.

A abstenção deste pleito chegou a 22,04%, o que significa que 149.351 eleitores não foram votar neste domingo e terão que se justificar perante a Justiça Eleitoral nas próximas semanas. 

EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR É O NOVO PREFEITO DE SÃO LUÍS


Com 92,61% das urnas totalizadas em São Luís, tem-se os seguintes números:

Edivaldo Holanda Júnior - 56,05%

João Castelo - 43,95%

Castelo não pode mais alcançar Edivaldo.

Daqui de casa, já consigo ouvir os foguetes de comemoração pela vitória dos holandistas.

QUARTA PARCIAL: 86% DAS URNAS APURADAS EM SÃO LUÍS


Com 86,23% das urnas totalizadas em São Luís, tem-se os seguintes números:

Edivaldo Holanda Júnior - 56,00%

João Castelo - 44,00%

TERCEIRA PARCIAL: APURAÇÃO SÃO LUÍS


Com 65,88% das urnas totalizadas em São Luís, tem-se os seguintes números:

Edivaldo Holanda Júnior - 56,26%

João Castelo - 43,74%

CAMPANHA DE CASTELO SERVE COMIDA ESTRAGADA PARA FUNCIONÁRIOS


Por Hugo Freitas

Os funcionários da empresa BMK Distribuidora, que trabalha com panfletagem e veiculação de propaganda do candidato João Castelo (PSDB), denunciaram ao blog, agora há pouco, que receberam comida estragada na manhã deste domingo (28).

De acordo com a denúncia, os funcionários da campanha castelista tiveram que recorrer a lanches, pagos por conta própria, porque as quentinhas servidas no almoço estavam completamente estragadas.

Um dos denunciantes disse que ficou bastante revoltado com a situação: "Nem cachorro come isso, é comida contaminada que não se dá nem pra mendigo", reclamou.

Os denunciantes informaram ainda que as quentinhas teriam sido embaladas desde às 22h de ontem (27), e que, por conta disso, o mal-cheiro era forte. "A carne estava ruim e dava para sentir o mal-cheiro ao abrir a quentinha", disse um trabalhador revoltado.

APURAÇÃO SÃO LUÍS: SEGUNDA PARCIAL


Com 18,16% das urnas totalizadas em São Luís, tem-se os seguintes números:

Edivaldo Holanda Júnior - 58,34%

João Castelo - 41,66%

APURAÇÃO SÃO LUÍS: PRIMEIRA PARCIAL


Com 2,62% das urnas apuradas, tem-se a primeira parcial do segundo turno em São Luís:

Edivaldo Holanda Júnior (PTC) – 61,38%

João Castelo (PSDB) – 38,62 %

COMEÇA A APURAÇÃO DO SEGUNDO TURNO EM SÃO LUÍS


Por Hugo Freitas

Terminou a votação em São Luís. Os portões das seções eleitorais na capital maranhense foram fechados pontualmente às 17h, horário local (o Maranhão não está inserido no horário de verão).

O blog irá acompanhar, ao vivo, as parciais da apuração para saber quem será o novo prefeito da cidade: Edivaldo ou Castelo.

A segurança foi garantida pelas polícia civil, militar e pelo Exército, que se espalharam por todas as seções na cidade, visando coibir a compra de votos, conforme inúmeras denúncias pré-votação.

Em instantes, novas informações.

"ACREDITO QUE SÃO LUÍS VAI DAR UM GRANDE PASSO HOJE", DIZ FLÁVIO DINO


Por Hugo Freitas

O presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), votou pela mudança de São Luís no fim da manhã, no bairro do Olho D’Água.

Acompanhados por Edivaldo Holanda Júnior (PTC), Roberto Rocha (PSB), Marcelo Tavares (PSB), líder da oposição na Assembleia Legislativa, e a comitiva de lideranças políticas de oposição, Flávio Dino votou com expectativa positiva.

"Acredito que São Luís vai dar um grande passo hoje. Estou feliz por ter participado de uma campanha honesta e com propostas de mudança”, afirmou Dino.

Após a votação, Flávio falou do sentimento de mudança e esperança que a campanha trouxe para São Luís, destacando que a vitória do "36" vai fortalecer o movimento de oposição em todo o estado.

"Esperamos que o sentimento de mudança prevaleça hoje nas urnas, para que o trabalho daqueles que querem ver transformação na política do Maranhão avance, e possamos ver o todo o país respeitando o nosso estado", concluiu.

EDIVALDO VOTA ACOMPANHADO DE CARAVANA; CASTELO ABANDONADO POR ALIADOS


Por Hugo Freitas


O candidato Edivaldo Holanda Júnior (PTC), líder de todas as pesquisas deste segundo turno em São Luís (leia aqui), votou por volta das 9:30h deste domingo (28), numa unidade escolar no bairro do Recanto dos Vinhais.

Ele chegou acompanhado da esposa Camila Vasconcelos, do vice Roberto Rocha, do presidente da Embratur, Flávio Dino, e de uma grande caravana de apoiadores e aliados que o seguiu até o local da votação.

O candidato da coligação "Muda São Luís" votou com confiança e o sentimento de dever cumprido nestas eleições. "Fizemos uma campanha limpa e propositiva nos dois turnos destas eleições. Nos pautamos em propostas e no diálogo com a cidade e vimos o sentimento de mudança nas pessoas", afirmou Edivaldo.

Após a votação, o candidato da oposição a João Castelo (PSDB) e Roseana Sarney (PMDB) concedeu entrevista e agradeceu o apoio recebido durante a campanha. Edivaldo aguarda, nas urnas, a confirmação da mensagem que levou à população nos últimos meses.

"Iremos aguardar o resultado com tranquilidade. Mas desde já quero agradecer a Deus, aos meus apoiadores e à população de São Luís por percorrerem a cidade com a gente nesses últimos meses. E aos que ainda não votaram, escolham a mudança, escolham o 36", disse otimista.

Após confirmar seu voto na mudança, Edivaldo acompanhou o candidato a vice, Roberto Rocha, até o colégio Dom Bosco, no bairro do Renascença, onde ele também expressou na urna sua crença na vitória do "36".

Em entrevista à imprensa, Holanda agradeceu o carinho da população e disse que vai aguardar com otimismo o resultado.


Por sua vez, o candidato à reeleição João Castelo (PSDB) também votou pela manhã. Enquanto seu adversário estava cercado de uma multidão de partidários e militantes, o tucano chegou à escola onde vota, no bairro do Anil, acompanhado apenas da esposa, Gardênia Gonçalves, por volta das 10h30.

Para a imprensa, Castelo disse estar feliz pela demonstração de carinho que o povo teve para consigo em reconhecimento ao seu trabalho. 

Atualizado por volta das 16h

sábado, 27 de outubro de 2012

ÚLTIMA PESQUISA IBOPE: EDIVALDO VENCE COM 56%


Por Hugo Freitas

O Ibope divulgou, agora há pouco, a última pesquisa de intenção de votos para o segundo turno em São Luís.

Edivaldo Holanda Júnior (PTC) está com 56% dos votos válidos (excluídos brancos, nulos e indecisos), contra 44% de João Castelo (PSDB).

A vantagem dada pelo Ibope a Edivaldo se assemelha à da pesquisa DataM, divulgada nesta manhã (27), onde o petecista aparece 12 pontos à frente do tucano (leia aqui).

Confira os números do Ibope:

Votos totais

Edivaldo Holanda Júnior (PTC) – 49%

João Castelo (PSDB) – 39%

Brancos/Nulos – 5%

Indecisos – 7%

Votos Válidos

Edivaldo Holanda Júnior (PTC) – 56%

João Castelo (PSDB) – 44%

A pesquisa Ibope, encomendada e divulgada pela TV Mirante, ouviu 805 eleitores entre os dias 25 e 27 de outubro e está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-545/2012. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

PASTOR TUCANO TENTA "ÚLTIMA CARTADA" PARA ENGANAR EVANGÉLICOS


Por Hugo Freitas

O polêmico panfleto acima amanheceu espalhado pelas ruas de São Luís neste sábado (27). Trata-se de um texto difamatório contra o líder de todas as pesquisas para prefeito da cidade, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), disseminado justamente às vésperas do segundo turno.

O texto do panfleto está assinado pelo pastor Fábio Leite, da Assembléia de Deus. O impresso é uma espécie de "última cartada" do pastor tucano, ligado ao prefeito João Castelo (PSDB), de denegrir a imagem de Edivaldo, ludibriar os eleitores evangélicos e retirar do candidato petecista os votos da comunidade cristã, uma vez que Edivaldo também é cristão-evangélico.

O principal ataque do pastor tucano contra Holanda Júnior é o de que ele "traiu o povo de Deus". A digital castelista do panfleto difamatório fica evidente quando o pastor tucano menciona o aparecimento de Edivaldo num vídeo sobre uma suposta "milícia", vídeo este considerado ilegal e criminoso pela Justiça por ser uma grosseira montagem e proibido de ser veiculado na propaganda de Castelo, que foi punido por isso (leia aqui).

Em tempo, o pastor Fábio Leite é o mesmo que foi candidato a vice-prefeito de Clodomir Paz (PDT), em 2008, e que apoiou a candidatura de Washington Oliveira (PT) no 1° turno das eleições em São Luís.

DATAM: EDIVALDO JR. LIDERA PESQUISA ÀS VÉSPERAS DA ELEIÇÃO

População de São Luís quer Edivaldo como prefeito

Por Hugo Freitas

Última pesquisa DataM encomendada e divulgada neste sábado (27) pelo jornal O Imparcial aponta vitória do candidato da coligação “Muda São Luís”, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), um dia antes da realização do segundo turno na capital.

De acordo com os números do instituto DataM (o único que acertou o resultado do primeiro turno em São Luís), na pesquisa estimulada Edivaldo aparece com 52% das intenções de votos, contra 40,1% de João Castelo (PSDB), uma liderança de aproximadamente 12 pontos percentuais.

A vantagem de Edivaldo em relação a Castelo aumenta para 12,8% quando computados apenas os votos válidos (excluídos brancos e nulos). O petecista angaria 56,4% da preferência do eleitorado, enquanto o tucano soma 43,6%.

Confira abaixo os números:

Votos totais

Edivaldo Holanda Jr. – 52%

João Castelo – 40,1%

Brancos/Nulos – 4,1%

Não sabe/Não respondeu – 3,8%

Votos válidos

Edivaldo Holanda Jr. – 56,4%

João Castelo – 43,6%

A pesquisa DataM ouviu 800 eleitores nos dias 25 e 26 de outubro e está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-547/2012. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

CASTELO É PUNIDO PELA JUSTIÇA COM A PERDA DE CINCO MINUTOS DE SEU HORÁRIO ELEITORAL


Por Hugo Freitas

Conforme o previsto, o prefeito João Castelo perdeu cinco minutos em seu horário eleitoral desta noite (26), por conta da exibição do vídeo "Milícia 36", veiculado na propaganda do tucano, no início da semana, com o intuito manifesto de denegrir a imagem de seu adversário, o candidato Edivaldo Holanda Júnior (PTC), líder de todas as pesquisas já realizadas.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) entendeu que o vídeo onde Edivaldo aparece numa reunião com policiais, bombeiros e seus familiares que, livremente, como cidadãos que gozam de seus plenos direitos, decidiram manifestar seu apoio ao candidato, é uma trucagem e montagem grosseiras, proibidos pela Justiça Eleitoral, que já havia se manifestado pela proibição de sua veiculação (leia aqui).

A Corte maranhense acatou o pedido dos advogados da coligação "Muda São Luís", de Holanda Júnior, e decidiram cassar a decisão do juiz José Carlos Souza e Silva, que permitia à coligação de João Castelo exibir o vídeo da fictícia "milícia" hoje à noite no horário eleitoral, sob o entendimento de que o vídeo não passa de uma trucagem e de uma grosseira montagem, farsa desmascarada por perícia especializada (leia aqui).

Com isso, a exibição do vídeo, que já havia sido esclarecido pelos próprios militares que nele aparecem (leia aqui), está suspensa definitivamente.

Ancorada na decisão do pleno do TRE maranhense, a juíza da 3ª Zona Eleitoral de São Luís, Luzia Nepomucena, reconheceu a fraude criminosa do vídeo utilizado pelos tucanos como arma eleitoral e puniu a coligação de João Castelo à perda do tempo de 5 minutos de sua propaganda desta noite. A sentença se cumpriu, e Castelo ficou com apenas metade de seu tempo de TV.

Disso tudo, o que se depreende é que a justiça foi feita e o vídeo criminoso de Castelo, com o qual o tucano contava para destruir a campanha de Edivaldo, foi considerado ilegal.

Confira abaixo a íntegra da decisão que sepultou a "Farsa da Melissa":