terça-feira, 30 de junho de 2015

Entidade de Direitos Humanos condena "insultos" do governador Flávio Dino ao dirigente da Pastoral Carcerária


A crise instalada entre o Governo do Maranhão e a Igreja Católica por conta do desentendimento entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e o padre Roberto Perez Cordova, dirigente da Pastoral Carcerária no Estado, não dá mostras de que irá findar tão cedo.

A quantidade de "Notas" e declarações ácidas que se seguem após a deflagração das tensões geradas no Palácio dos Leões, no último sábado (27), em reunião que discutia a proposta de um projeto de lei para a criação de um Comitê Estadual de Combate à Tortura, sinaliza a gravidade das feridas abertas por conta dessa inesperada contenda entre o padre e o governador.

Colocando mais álcool no fogaréu entre católicos e comunistas, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH), ligada à Igreja Católica, divulgou, na noite desta segunda-feira (29), uma "Nota de Solidariedade" ao padre Perez, onde condena as declarações de Flávio Dino sobre o episódio, classificando-as de "prática recentemente inaugurada de achincalhe e desmoralização daqueles que divergem da opinião oficial".

Declarações de Flávio Dino no Twitter, tachando o padre Perez de "mensaleiro", alimentaram a cizânia com os dirigentes da Igreja Católica no Maranhão

O governador do Maranhão despertou a "ira" dos líderes católicos após informar, em uma rede social, que o padre Perez era um "mensaleiro" do governo Roseana Sarney. Para Dino, as críticas do dirigente da Pastoral Carcerária sobre o sistema prisional do estado não possuíam legitimidade por conta do recebimento de "mensalinhos".

A Nota da SMDH se soma à da Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz - que teve o aval do arcebispo metropolitano de São Luís, dom Belisário, autoridade máxima da Igreja Católica no Maranhão (confira) -, à "Carta Aberta da Pastoral Carcerária" e às inúmeras manifestações de militantes e figuras expoentes do cenário religioso estadual, como o padre Cláudio Bombieri, que, após ter participado da reunião nos Leões, questionou em texto divulgado em seu blog: "Deu a louca no governador do Maranhão?"

Leia a íntegra da Nota da SMDH:

Nota de Solidariedade

A SMDH

A propósito do episódio envolvendo o Governador do Estado e o Padre Roberto Perez Cordova, representante da Pastoral Carcerária, no último dia 26 de junho, ocasião em que se celebrava o dia internacional de combate à tortura, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) se sente no dever de se posicionar na forma abaixo:

a. Repudia qualquer tentativa de desqualificação de militantes de direitos humanos e de entidades da sociedade civil, no exercício da nobre missão de fazer o controle social das políticas públicas;

b. Repudia a prática recentemente inaugurada de achincalhe e desmoralização daqueles que divergem da opinião oficial, por intermédio do cerco de mídia, alinhada ao governo;

c. Conclama o Governador de Estado e seus subordinados, como dignos mandatários de cargos públicos a manterem postura e garantirem nos debates o direito à divergência de opinião nos temas caros ao exercício de direitos, sobretudo em notas oficiais e argumentos publicizados em redes sociais, de modo a preservar os caminhos institucionais do diálogo com a sociedade civil;

d. Solidariza-se com o Padre Roberto Perez Cordova, militante da renomada entidade Pastoral Carcerária, injustamente atacado em sua honra e dignidade.

São Luís/MA, 29 de junho de 2015
Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH)

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Deputado solicita implantação de mais Unidades de Segurança nos bairros de São Luís


O deputado Wellington do Curso (PPS) apresentou, mais uma vez, na tribuna da Assembleia Legislativa, proposições em defesa da Segurança Pública do Estado. Dessa vez, o parlamentar solicitou a ampliação do número de Unidades de Segurança Comunitárias (USC) no Maranhão, tendo em vista a criminalidade que, segundo ele, permeia a sociedade.

Existem duas USCs instaladas em São Luís, sendo uma na Vila Luizão e outra no bairro Coroadinho.

Na oportunidade, Wellington destacou a importância das USCs, além de enfatizar a pertinência da polícia comunitária, sobretudo, nos bairros considerados “mais violentos” da capital.

“Após o primeiro ano de implantada, os índices de criminalidade nos bairros atendidos pela USC (Divinéia, Sol e Mar e Vila Luizão) diminuíram consideravelmente, segundo o CIOPS. Quanto à implantação do projeto, adotou-se como critério básico de escolha da localidade o comportamento das linhas de tendência quanto aos crimes dolosos contra a vida, contemplando, assim, as áreas com os maiores índices de criminalidade, destacou Wellington.

O deputado ainda citou vários bairros da capital que necessitam de Unidades de Segurança, em caráter emergencial. Entre eles, Cidade Olímpica, Maiobão, São Raimundo, Pedrinhas, Vila Maranhão, dentre outros que, segundo o Centro de Apoio Operacional do Controle Externo da Atividade Policial (CAOp-CEAP) e do Ministério Público do Maranhão (MPMA), são os bairros onde há maior índice de crimes violentos letais intencionais.

“Ressalta-se aqui o caráter emergencial, não apenas de garantir novas Unidades de Segurança, mas a necessidade de se enfatizar o combate à criminalidade e, assim, ao zelo por aquilo que o ser humano possui de mais importante: a vida”, declarou.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

Prefeitura investe na divulgação de São Luís no exterior


A Prefeitura de São Luís espera aumentar o fluxo de turistas na capital com a divulgação do destino no cenário internacional, visando impulsionar novas atividades de desenvolvimento de negócios e a geração de um movimento de atração de novos investimentos.

Operadores, agentes de viagens e jornalistas franceses interessados em incluir São Luís nos grandes roteiros internacionais deverão visitar a capital maranhense no mês de outubro para conhecer a cultura, culinária, praias e patrimônio histórico local.

A visita do trade francês a São Luís é resultado de um workshop realizado pela Prefeitura de São Luís no último dia 16, em Paris, na França, no qual uma equipe da Secretaria Municipal de Turismo apresentou um roteiro turístico que inclui, além de São Luís, os municípios de Alcântara e Barreirinhas.

O workshop integra as ações definidas entre a Prefeitura de São Luís e o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), em acordo que visa promover cidades brasileiras com grandes potenciais turísticos no mercado internacional.


São Luís é um dos 65 Destinos Indutores do Turismo do Brasil e parte integrante da Associação dos Secretários e Dirigentes dos Destinos Indutores do Turismo (Anseditur), estando incluída nas ações de desenvolvimento diferenciadas para alcançar a competitividade internacional.

Dentre várias capitais brasileiras, a exemplo do Rio de Janeiro, Fortaleza e São Paulo, que pleitearam o recurso para divulgar seus destinos, apenas São Luís conseguiu operacionalizar o acordo.

A promoção se dá com ações de Famtour e Presstrip, Workshop, Mostra Gastronômica e produção de material promocional, incluindo sacola, card drive, catálogo, folder e vídeos de cinco, três e um minuto.

Depois da vinda dos operadores franceses, São Luís deverá receber também caravanas de Buenos Aires, Lima e Bogotá.

CAFÉ COM O TRADE

As negociações resultantes do workshop em Paris serão apresentadas pela Secretaria Municipal de Turismo (Setur) ao trade de São Luís durante um café da manhã que será realizado no próximo dia 2 de julho.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

Arquidiocese de São Luís critica "achincalhes" de Flávio Dino e defende dirigente da Pastoral Carcerária

Dom Belisário, arcebispo metropolitano de São Luís, autoridade máxima da Igreja Católica no Maranhão

Conforme "pedra cantada" neste blog, a Arquidiocese de São Luís resolveu se manifestar oficialmente sobre a "peleja" ocorrida no último sábado (27), no Palácio dos Leões, envolvendo o dirigente da Pastoral Carcerária do Maranhão, padre Roberto Perez Cordova, e o governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB).

Por meio de "Nota de Solidariedade" da Comissão de Justiça e Paz, assinada por Cecília Amim com o visto de dom Belisário, arcebispo metropolitano de São Luís e autoridade máxima da Igreja Católica no Maranhão, a instituição eclesiástica lamentou os "conceitos e palavras indelicadas dirigidas ao padre Roberto Perez" pelo governador.

No texto, a Arquidiocese manifesta "solidariedade ao padre pela forma como teve sua dignidade atingida ao fazer críticas ao Sistema Penitenciário do Maranhão", condenando as declarações de Flávio Dino como "momento de achincalhes e dor".

Em linhas gerais, a Nota expressa que dom Belisário reconhece o trabalho desenvolvido pelo padre Roberto Perez, "pela sua competência e conhecimento do Sistema Carcerário do Brasil", e dá ciência de que as atividades de assistência religiosa desenvolvidas pelo sacerdote tanto no governo Roseana Sarney quanto na gestão Flávio Dino - de onde foi exonerado apenas no final de março deste ano, após tecer críticas à continuidade do modelo de gestão no Complexo Penitenciário de Pedrinhas - são legais, reconhecidas pela Constituição Federal e previstas na Lei de Execução Penal.

“É de nosso conhecimento que o Padre Roberto Perez Cordova teve um contrato com o Governo do Maranhão, para atuar junto aos presídios, dando assistência religiosa aos presos e presas, o que pode ser comprovado com o testemunho de todos os membros da Pastoral Carcerária, pelos próprios apenados e apenadas do Complexo Penitenciário de Pedrinhas e de todo o Maranhão, trabalho que exerceu, com seriedade e compromisso cristão, uma vez que o cargo existia e ainda existe, tanto assim, que desde a demissão do sacerdote, foi contratado para substitui-lo por um representante de outra igreja. De longe, qualificá-lo com a forma pejorativa de 'mensalinho'”, afirma a Nota.

Declarações de Dino no Twitter alimentaram a cizânia entre o Governo e a cúpula da Igreja Católica do Maranhão

Ao "bater de frente" com o padre dirigente de uma importante Pastoral, como é a da Carcerária, e que prestava serviço para a atual gestão até ser exonerado no final de março, o governador Flávio Dino acabou "comprando briga" com toda a cúpula da Igreja Católica do Maranhão.

Leia também:





Leia abaixo a íntegra da Nota da Arquidiocese de São Luís contra as declarações do governador do Maranhão:

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

domingo, 28 de junho de 2015

O PADRE E O GOVERNADOR

Após "peleja" com dirigente da Pastoral Carcerária, Flávio Dino (PCdoB) pode ter de enfrentar um adversário de peso ainda maior: a Arquidiocese do Maranhão

Por Hugo Freitas

O desentendimento entre o dirigente da Pastoral Carcerária do Maranhão, o padre mexicano Roberto Perez Cordova, e o governador do Estado, Flávio Dino de Castro e Costa (PCdoB), pode desencadear uma crise sem precedentes nas relações institucionais entre o Governo e a Igreja Católica, cuja ressonância só encontra comparativo nos tempos da ditadura militar no Maranhão.

Ao ousar criticar o governador Flávio Dino, rebatendo o discurso deste de que a situação em Pedrinhas estava melhor desde 1o. de janeiro, início da atual gestão estadual, em reunião realizada com membros da referida Pastoral dentro do Palácio dos Leões, padre Roberto talvez não imaginasse que estaria "comprando briga" com quem "não foge à luta", cuja tática principal é se defender atacando.

Logo após a divulgação da Carta da Pastoral Carcerária, direcionada a Flávio Dino, os Leões do Palácio se apressaram em emitir Nota Oficial desdizendo a epístola eclesiástica e desqualificando as críticas do corajoso mexicano. Afinal, "peitar" o governador dentro do Palácio é coisa para "cabra-macho".

Como tática de desqualificação das críticas, a Nota do Governo do Maranhão revelou que o padre mexicano recebia uma espécie de "mensalinho" no governo Roseana Sarney, no valor de R$ 2.300,00, por meio de uma empresa terceirizada que prestava serviços dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

O próprio governador utilizou seu perfil no Twitter para endossar a Nota Oficial e criticar veementemente a postura crítica do padre em relação à situação do sistema prisional no Maranhão. Para Dino, Cordova estaria ressentido com a perda da "boquinha".

Declarações de Dino no Twitter aumentaram a cizânia entre o Governo e membros da Igreja Católica

Na esteira dos acontecimentos, como era de se esperar, outras vozes de destaque na Igreja do Maranhão começaram a se levantar em defesa do padre Roberto Cordova. A mais contundente até agora foi a do padre italiano Cláudio Bombieri, ligado a entidades católicas como a Comissão Pastoral da Terra (CPT), Conselho Indigenista Missionário (CIMI), entre outras. Em um blog que mantém na internet, Bombieri tratou de descrever a referida peleja em texto cujo título questionava: "Deu a louca no governador do Maranhão?" (confira aqui).

Ao se "destemperar" com o dirigente da Pastoral Carcerária, dado o tom ácido da Nota do Governo e das próprias "tuitadas" do governador, Flávio Dino pode esbarrar em um "adversário" de peso ainda maior: a Arquidiocese do Maranhão. E para isso deve mobilizar todas as vozes alinhadas ao seu projeto político para fazer coro às suas declarações.

Já circula pelo menos em um blog da capital, por exemplo, graves denúncias de um sindicalista ligado ao PCdoB, partido do governador, que atua junto ao Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pedrinhas, dando conta de "esquemas de corrupção" no sistema prisional maranhense que estariam contando com a "cobertura de autoridades ligadas à cúpula eclesiástica do estado" (veja aqui).

As implicações de tais denúncias, declarações e acusações gravíssimas, eclodidas em menos de 24h após a peleja entre o padre e o governador, podem "forçar" um posicionamento oficial do arcebispo metropolitano de São Luís, dom Belisário, que é a autoridade máxima da Igreja Católica no Maranhão, seja exercendo o papel de "mediador" e/ou de "apaziguador" dos ânimos exaltados ou de defensor da democracia e da liberdade de expressão do padre estrangeiro e da Pastoral Carcerária.

Seja como for, em que pese as tentativas de desqualificação de seu "algoz", a imagem midiática do governador comunista parece ter sido irremediavelmente "arranhada" pelo destemor do padre mexicano que, ao ousar contradizer Flávio Dino dentro de seus domínios palacianos, despertou não só a ira flamejante dos Leões, como também a atenção de muitos que ainda não conheciam esse lado obscuro e nada republicano do dirigente-mor do Maranhão.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

sábado, 27 de junho de 2015

Governo se pronuncia sobre polêmica Carta da Pastoral Carcerária do Maranhão


NOTA OFICIAL

A respeito de nota atribuída à Pastoral Carcerária (que critica o que chamou de "atitudes prepotentes e descontroladas do governador Flávio Dino (PCdoB) (CONFIRA AQUI), o Governo do Maranhão tem a informar:

1 – A nota é absurdamente inverídica, pois jamais o governador do Estado afirmou que o sistema penitenciário estava perfeito e isento de problemas, tampouco se “descontrolou”. Frise-se que a reunião encontra-se gravada e terminou com uma festiva foto, com todos os participantes.

2 – O governador do Estado apenas respondeu a uma equivocada afirmação de que o sistema penitenciário “piorou” neste ano de 2015. Ao fazê-lo, resumiu os avanços e anunciou as medidas que serão adotadas para continuar melhorando. Lembramos que, neste ano, houve uma redução de 61% no número de fugas e de 63% no número de mortes, e nenhuma rebelião em Pedrinhas. Os dados são públicos e estão à disposição de todos.

3 – Na verdade, a nota atribuída à Pastoral Carcerária deriva da revelação de que um dos seus membros recebia remuneração indevida de uma empresa terceirizada no sistema penitenciário. O que gera, aí sim, reações prepotentes e descontroladas.

4 - Sobre a presença da Pastoral Carcerária em Pedrinhas, ela será sempre bem vinda, assim como tem sido bem recebidas todas as instituições que verdadeiramente querem melhorar a execução penal no Brasil. O governo do Maranhão vai continuar corrigindo os erros do sistema penitenciário, nos termos de Acordo assinado com o presidente do Supremo Tribunal Federal e outras autoridades.

Governo do Estado do Maranhão
São Luís, 27 de junho de 2015.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

Pastoral Carcerária divulga Carta criticando "prepotência e descontrole" do governador Flávio Dino

Ao ser contrariado com críticas ao sistema prisional do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) demonstrou falta de equilíbrio emocional com o padre que dirige a Pastoral Carcerária

Aos poucos, a população do Maranhão vai tomando conhecimento daquilo que somente se sabia nos bastidores da política estadual: o "destempero" emocional de Flávio Dino (PCdoB) diante das críticas.

No início da tarde deste sábado (27), a Pastoral Carcerária do Maranhão divulgou Carta onde "repudia veementemente" o que chamou de "atitudes prepotentes e descontroladas do governador do Estado, Flávio Dino".

O texto descreve, pelo ponto de vista do "denunciante", o que teria ocorrido numa reunião entre representantes do Governo do Estado, incluindo o governador Flávio Dino, e da Pastoral Carcerária do Maranhão, realizada na manhã de hoje, tratando sobre a situação caótica encontrada no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

A "pauta" Pedrinhas veio à tona novamente após visita de membros da CPI do Sistema Carcerário ao Maranhão para constatar as falências da "masmorra medieval" em que se transformou o maior presídio do estado.

Diante das críticas contra o estado de precariedade infra-estrutural de Pedrinhas e das condições sub-humanas a que estão subjugados os detentos, Dino teria reagido ferozmente contra o dirigente da Pastoral, o padre Roberto Perez Cordova, o que motivou a divulgação da Carta, cuja íntegra segue abaixo:

Carta aberta da Pastoral Carcerária do Maranhão ao senhor governador

A Pastoral Carcerária do Maranhão vem através dessa nota repudiar veementemente as atitudes prepotentes e descontroladas do governador do Estado, Flávio Dino, dirigidas ao nosso coordenador estadual durante uma reunião, no dia 27 deste, com diferentes entidades da sociedade civil em que se apresentava a o projeto de lei da criação do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura e o Comitê Estadual de Combate à Tortura. Tudo começou quando o senhor governador, surpreendentemente, iniciou a auto-elogiar o seu governo, notadamente, o atual sistema prisional. Afirmou que com o advento da sua administração tudo teria mudado nas penitenciárias e prisões do Estado: os presos têm defensores públicos, há escolas e professores, não há mais maus tratos e nem repressão, não mais rebeliões e mortes entre presos, e nem tentativas de fugas. Enfim, o que não se fez em décadas de administração pública ele o teria feito em poucos meses.

Diante de tamanha distorção da realidade prisional o coordenador da Pastoral sentiu-se na obrigação moral de fazer observar ao senhor governador que o que ele expunha com tanta convicção não correspondia à objetividade dos fatos. Relatou o coordenador que os maus tratos continuavam com a mesma ou até maior intensidade que antes em todas as prisões do Estado. Observou que já houve várias mortes de presos nesses primeiros meses de governo, sem falar em fugas, algumas notórias, inclusive, pelo portão principal da penitenciária de segurança máxima em São Luís. Acrescentou que o atual secretário de segurança administra de forma personalista a partir do gabinete dele sem que haja diálogo, visita e comunicação efetiva com diretores, presos e entidades da sociedade civil. Diga-se, de passagem, que uma recente visita de uma comissão parlamentar à penitenciária de Pedrinhas confirmou tudo isso. A reação do governador deixou boquiabertos não somente o coordenador da Pastoral carcerária, mas também todos os presentes. Visivelmente alterado respondeu ao coordenador que ele não conhecia a história do Maranhão, que a sua era uma postura política, preconceituosa, que ele não tinha senso crítico. Em tom desafiador desconfiou da experiência e conhecimento de causa do coordenador e o acusou de ignorar os avanços e as mudanças que ocorreram no governo dele no sistema prisional.

Diante do exposto gostaríamos de colocar algumas considerações até como forma de ajudar o executivo estadual a encontrar e aprofundar o rumo do diálogo e da aceitação do contraditório como expressão democrática.

1. Como Pastoral carcerária e como sociedade civil cabe-nos a tarefa de acompanhar e defender a dignidade de toda pessoa, e da pessoa toda, principalmente no que tange a população encarcerada do Estado do Maranhão. Solicitamos do senhor governador que apresente para a sociedade dados objetivos que comprovem o que ele afirma com tanta segurança a respeito da realidade prisional. Quantos novos professores, escolas, defensores públicos, por exemplo, foram contratados no seu governo, e em quais casas de detenção estão atuando. Essas eram algumas das informações que esperávamos dele no embate com o coordenador, em lugar de ‘reagir’ da mesma forma que os seus antecessores quando alguém ensaiava ‘arranhar a sua imagem pública’ com dados e argumentações.

2. Queremos acreditar que o seu destempero emocional exibido na reunião – e que produziu constrangimento generalizado nos presentes, – tenha sido algo circunstancial e não uma expressão do seu ‘modus vivendi’, pois estaria colocando em xeque o direito sagrado ao ‘contraditório’ que ele sempre defendeu. Enfim, que reconheça, de fato, para os seus cidadãos o direito da livre expressão, inclusive o de discordar com o ‘servidor-mor’ do Estado, pois isso é democracia substantiva!

3. Na reunião o senhor governador em duas ocasiões alardeou que iria convocar a Pastoral carcerária para ‘sentar’ e debater questões vitais relacionadas ao sistema prisional. Reiteramos aqui a nossa disponibilidade para não somente sentar com representantes do Estado, mas, principalmente, para visitar, apoiar e defender os presos, – sejam eles quem forem, – e seus inalienáveis direitos. Reafirmamos a nossa disposição em sempre denunciar toda tentativa de brutalidade e repressão por parte das estruturas do estado e de outros que queiram reduzir a vida de um ser humano que já nesta pagando seus erros a uma mera ‘peça’ descartável.

São Luís, 27 de junho de 2015
Pastoral Carcerária do Maranhão

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Wellington na luta por melhorias no sistema de Segurança do Maranhão


O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) vem se constituindo numa importante voz no Parlamento maranhense, adotando uma postura crítico-propositiva que destoa dos demais 41 deputados.

Na manhã desta quinta-feira (25), Wellington propôs a criação de Postos de Fiscalização fixos da Companhia de Polícia Militar Rodoviária Estadual.

A solicitação foi encaminhada ao Governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), e ao Secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela.

Na ocasião, Wellington enfatizou a necessidade de se implantar os Postos de Fiscalização da Polícia Rodoviária Estadual nas seguintes cidades:

-Boa Vista do Gurupi (fronteira com o município de Cachoeira do Piriá),
-Itinga do Maranhão (fronteira com o município de Dom Eliseu),
-Imperatriz (fronteira com o município de São Miguel do Tocantins),
-Estreito (fronteira com Aguiarnópolis),
-Carolina (fronteira com o município de Filadélfia),
-Loreto (fronteira com Ribeiro Gonçalves),
-Benedito Leite (fronteira com Uruçuí),
-Barão de Grajaú (fronteira com Floriano),
-Timon (fronteira com Teresina),
-e Araioses (fronteira com Buriti dos Lopes).

Para o deputado Wellington, que é ex-sargento do Exército, a solicitação de postos fixos de vigilância nas fronteiras inter-municipais deve reforçar o combate sistêmico à entrada de armas e drogas no Estado, elementos que, somados, alimentam a violência que assola e devasta os lares de milhares de maranhenses todos os dias.

“As fronteiras maranhenses são importantes rotas para o crescimento e desenvolvimento do Estado. No entanto, é por tais fronteiras que criminosos, observando a fragilidade da fiscalização e controle, identificam a oportunidade de adentrar o território com produtos contrabandeados, armas, drogas e munições que alimentam a violência e, assim, o poder do crime organizado que age na sociedade. Ante tal realidade, a criação de postos de fiscalização e controle nas 10 principais fronteiras do Estado contribuiria substancialmente para uma maior contenção das ‘infrações’ nas fronteiras. A solicitação, por ora apresentada, não se limita à mera criação de Postos de Fiscalização, mas almeja ao que é direito de todos e dever do Estado: a Segurança”, pontuou o parlamentar.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

Dia de mobilização na entrada da UFMA


Docentes, técnicos administrativos e estudantes da Universidade Federal do Maranhão realizaram na manha desta quinta-feira (25) atividade em defesa da educação pública, na entrada do Campus do Bacanga.

Os docentes se uniram aos demais servidores públicos federais que escolheram esta quinta-feira (25), Dia Nacional de Luta dos Servidores Públicos Federais (SPF), para realizarem atividades em todo país objetivando dar visibilidade à pauta unificada e divulgar as reivindicações junto à população. Em Brasília, também foi realizado um ato na Câmara Federal.


Representantes do Fórum das Entidades Nacionais dos SPF devem se reunir ainda esta semana com o Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para discutir as reivindicações da Campanha Unificada dos SPF, protocoladas no início do ano.

A expectativa é que o governo apresente resposta aos oito pontos da pauta unificada do funcionalismo federal.


Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Nasa divulga foto de "pirâmide" em Marte

Foto/Reprodução: Nasa

Imagens divulgadas pela Nasa, capturadas pelo robô Curiosity, que está em Marte desde 2012, provariam a existência de vida no Planeta Vermelho.

A foto em questão aponta para uma formação rochosa no formato similar ao de uma pirâmide, o que serviu para realimentar a velha discussão sobre a existência de "vida extraterrestre", principalmente entre os ufólogos.

Muitos destes "especialistas" defendem a tese de que as pirâmides de Gizé, no Egito (Quéops, Quéfren e Miquerinos), por exemplo, teriam sido construídas por "alienígenas".

A Agência Espacial norte-americana, no entanto, se limitou apenas a divulgar e comemorar a nitidez das imagens registradas pelo Curiosity.

Fica a pergunta que intitula um livro já bastante conhecido mundialmente: "Seriam os deuses, astronautas?"

A "pirâmide marciana" e o robô Curiosity. (Foto/Reprodução: Nasa)

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook 

terça-feira, 23 de junho de 2015

Galeria Trapiche abre exposição de fotografias sobre o sertão maranhense nesta quinta-feira (25)


Promover um olhar sobre a beleza e a biodiversidade do Cerrado Sul Maranhense é a proposta da exposição "Cores e Formas do Sertão Maranhense", que a fotógrafa Ana Rosa Marques apresenta a partir desta quinta-feira (25), às 19h, no espaço da Galeria Trapiche Santo Ângelo, equipamento cultural da Prefeitura de São Luís.

A exposição traz paisagens da região da Chapada das Mesas, em especial do município de Carolina e do Parque Nacional, apresentando o cotidiano, a memória dos lugares, as formas de fazer as habitações, a beleza das águas e da biodiversidade do cerrado do sul maranhense.

"Continuamos abrindo espaço para que a atual produção das artes visuais do Maranhão possa estar disponível para o público maranhense e para os turistas que visitam São Luís", diz Paulo Melo Sousa, diretor da Galeria Trapiche Santo Ângelo.

A exposição conta com a produção artística de Claudionor Machado e apoio da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão (Fapema).

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

Deputado Wellington solicita Viva Cidadão e Mais Asfalto para Paço do Lumiar


Na manhã desta terça-feira (23), o deputado Wellington do Curso (PPS) apresentou proposições em defesa da população de Paço do Lumiar, cidade localizada a 31 km da capital maranhense.

O parlamentar solicitou ao Governador do Estado a implantação de uma unidade do Viva Cidadão, tendo em vista a importância dos serviços prestados. Além disso, solicitou ao Governador e ao Secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, que adotassem providências no sentido de incluir as vias do município no programa “Mais Asfalto”, enfatizando a pavimentação das ruas da cidade.

“O município de Paço do Lumiar, localizado a 31 km da capital maranhense, é um dos mais populosos do Maranhão. No entanto, ainda há alguns desafios que devem ser superados. A implantação do Viva Cidadão seria de suma importância, tendo em vista a relevância dos serviços ofertados. Outra solicitação foi referente à pavimentação das ruas da cidade. Mais do que meras proposições, almeja-se à concessão de serviços que zelem pelo exercício da cidadania dos luminenses e, assim, pelo respeito que é devido a todo cidadão”, destacou Wellington.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Natalino Salgado e Roberto Rocha se aproximam


O reitor da Universidade Federal do Maranhão, Natalino Salgado realizou algumas inaugurações no campus da cidade de Chapadinha, na manhã desta segunda-feira (22).

Para a surpresa de muitos, o senador Roberto Rocha (PSB) roubou a cena ao se fazer presente no evento como convidado de honra do próprio Natalino. Com Rocha, estava presente também o seu suplente Paulo Matos (PPS).

Roberto e Natalino estão cada vez mais próximos, o que sinaliza para um avanço no processo de costura de acordos e alianças visando as eleições de 2016 em São Luís. É sabido que Rocha já convidou Natalino para se filiar no PSB. O objetivo é edificar um grupo que apresente um nome para a disputa do Palácio de La Ravardiére.

No que depender da honraria concedida pelo reitor ao senador e das conversas que vêm entabulando entre si nos bastidores do jogo político, uma "terceira via" que faça frente à polarização Eliziane Gama/Edivaldo Jr. pode estar surgindo.

É aguardar e conferir!

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

domingo, 21 de junho de 2015

O São João do Maranhão e seus "equívocos"

Placa do Arraial do Ipem, promovido pelo Governo do Maranhão, estampa o nome de seu "Nonato Alves", quando deveria ser "Donato Alves"

Por Hugo Freitas

No Maranhão, o São João é uma das festas mais aguardadas do ano por conta da riqueza e diversidade das manifestações culturais reinantes no período, se constituindo num plus que oxigena o turismo e o comércio da região.

No entanto, os novos ocupantes do Palácio dos Leões parecem não compactuar com esta premissa, uma vez que alguns "equívocos" vêm ocorrendo na organização e comunicação sobre os festejos juninos, o que evidencia um certo "descuido" com a principal expressão cultural popular do Maranhão.

Os mais flagrantes, até agora, foram o erro do nome do cantador, compositor e um do fundadores do Boi de Axixá, seu Donato Alves, estampado em placa de identificação do Arraial do Ipem, promovido pelo governo do Estado, como "Nonato Alves" (ver foto acima). O Boi de Axixá é um dos mais tradicionais do sotaque de orquestra.

A correção do nome de seu Donato foi informada pelo próprio governador Flávio Dino (PCdoB), via twitter, contudo sem admitir que tal "equívoco" existiu

Não bastasse o erro do nome de seu Donato, um dos ícones da cultura maranhense, o governo errou também sobre a data de sua morte. Por meio de Nota oficial, o Governo do Estado informou que o artista morreu este ano.

Na verdade, o compositor faleceu no dia 10 de fevereiro do ano passado, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral que o deixou hospitalizado durante meses, fato fartamente noticiado pela imprensa local. Uma consulta simples no Google impediria que tal erro de informação ocorresse.

Nota oficial do Governo do Maranhão, emitida neste sábado (20/06/2015), onde consta a afirmação equivocada de que o cantador do Boi de Axixá faleceu este ano

Para "espanto" de todos, os Leões do palácio não se desculparam sobre os "equívocos", nem com os familiares de seu Donato nem com os amantes do Bumba-meu-boi, muito menos reconheceram que tais erros tenham ocorrido, tratando de corrigi-los sem estardalhaço, postura diametralmente oposta à que vem sendo cultivada quando se trata dos "acertos".

É até compreensível a postura dos Leões. Para um governo que não admite falhas, reconhecê-las seria colocar em xeque a "infalibilidade papal" que circunda a imagem autoesculpida de seu líder máximo, reificada a cada novo "equívoco" não admitido enquanto tal.


"Seu" Donato Alves, cantador, compositor e fundador do Boi de Axixá, um dos bois de orquestra mais tradicionais do São João do Maranhão, falecido em fevereiro de 2014

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

IMAGEM DA SEMANA: Eliziane e Aécio de olho em 2016


Quem acompanha o Blog do Hugo Freitas sempre tem uma visão diferenciada sobre o jogo político no Maranhão, para além dos releases de assessoria, principalmente no tocante à movimentação das peças do tabuleiro. E parece que até mesmo os protagonistas do jogo estão de olho nos escritos deste escriba (rsrs).

Pelo menos, é a impressão que se tem do encontro entre a deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), ocorrido na última quarta-feira (17), em Brasília, para tratar sobre as eleições de 2016.

Logo após a publicação do texto "Sobre Eliziane e Luís Fernando", onde analiso as potencialidades e dificuldades da candidatura pepessista em São Luís, justamente por conta da posição do PSDB Nacional como fiel da balança nas eleições locais, eis que a presidente estadual do PPS se reúne com um dos "figurões" do tucanato brasileiro.

O próprio Aécio confirmou a tese do blog ao garantir que o PSDB participará ativamente do processo eleitoral de 2016, com representante próprio ou apoiando candidato de partidos que fazem parte do seu arco de aliança.

Se levarmos em consideração o potencial eleitoral de Luís Fernando, recém-chegado ao ninho dos tucanos maranhenses com um currículo de ex-prefeito de São José de Ribamar, reeleito com incríveis 98% dos votos, ex-"queridinho" do grupo Sarney que chegou a acumular chances reais de vitória contra o então candidato Flávio Dino (PCdoB) nas eleições de 2014 - hoje coligado às fileiras comunistas - a ideia de Eliziane de defender a unidade entre o PPS e o PSDB em pelo menos três grandes cidades maranhenses: São Luís, São José de Ribamar e Imperatriz, pode não vingar a seu favor.

Pelo menos, não em São Luís, já que enquanto Eliziane olha para 2016, Aécio sonha muito mais com 2018.


Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

sexta-feira, 19 de junho de 2015

CPI do Sistema Carcerário estará no Maranhão


A Comissão Parlamentar de Inquérito do Sistema Carcerário Brasileiro, da Câmara dos Deputados, realizará na próxima terça-feira (23) uma visita in loco ao sistema prisional maranhense.

Os parlamentares que integram a CPI farão audiência pública com oitivas e uma visita ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, localizado em São Luís-MA. A previsão é que os deputados façam a visita no período da manhã e as oitivas à tarde.

O pedido de diligência no sistema prisional maranhense é de autoria da deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA). Para ela, o histórico de problemas carcerários no Maranhão é reflexo do que acontece no restante do país.

“É uma agenda importante, pois o Maranhão faz parte da rota nacional de situação de vulnerabilidade no sistema prisional. Nós realizaremos oitivas e visitas no estado. Esta será uma contribuição importante da CPI para o país, pois a partir da realidade do Maranhão e dos dados que iremos colher, poderemos trabalhar para promover mudanças no sistema nacional brasileiro”, destacou Eliziane Gama (PPS-MA), que é membro da CPI.

De acordo com o presidente da Comissão, Alberto Fraga, os deputados também pretendem ouvir depoimentos de agentes penitenciários e parentes de detentos. Além disto, as entidades que acompanham a situação do sistema prisional do Maranhão também deverão ser ouvidas.

Conhecido como um dos estados com um dos piores sistemas penitenciários do país, o Maranhão nos últimos anos tem sofrido com superlotação, mortes, rebeliões, fugas e precariedade na estrutura das unidades.

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook

Governadores do Nordeste divulgam Carta contra a redução da maioridade penal

A charge, "pescada" na internet, apresenta uma sátira contra a redução da maioridade penal, criticando a concepção de que a prisão de jovens ajuda a diminuir a violência face à precariedade da Educação no Brasil, pensamento compartilhado pelo editor deste blog

Governadores do Nordeste divulgaram na manhã desta sexta-feira (19) carta aberta ao parlamento e à sociedade brasileira para uma maior reflexão sobre a redução da maioridade penal.

Seis chefes de Estado afirmam estar convictos de que a decisão preliminar da Comissão da Câmara dos Deputados não vai contribuir para diminuir a criminalidade, mas gerar uma “ilimitada espiral de repressão ineficaz”.

A carta destaca ainda que a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos no Brasil violaria a Convenção Internacional dos Direitos da Criança, assinada pelo Brasil em 1990 e apontam uma eventual revisão do Estatuto da Criança e do Adolescente como um caminho mais indicado para aperfeiçoar a reinserção social de jovens que tenham cometido delitos.

Confira a íntegra da Carta:

Carta de Governadores contra a Redução da Maioridade Penal

Os governadores signatários desta Carta, à vista da aprovação em uma Comissão da Câmara dos Deputados da proposta de redução da maioridade penal, vêm convidar os Senhores Parlamentares e a sociedade a uma maior reflexão sobre o tema.

Temos convicção de que a redução da maioridade penal não irá contribuir para diminuir as taxas de criminalidade. Na verdade, o que ocorrerá é que crianças de 13 ou 14 anos serão convidadas a ingressar no mundo da criminalidade, sobretudo tráfico de drogas, desse modo alimentando-se uma ilimitada espiral de repressão ineficaz. Todos que lidamos com os sistemas de segurança pública e penitenciário, sabemos que cada vez há mais encarceramento no país, sem que a violência retroceda, posto que dependente de fatores diversos, sobretudo econômicos, sociais e familiares.

Acreditamos que a proposta vulnera direito fundamental erigido à condição de cláusula pétrea pela Constituição, sujeitando-se à revisão pelo Supremo Tribunal Federal. Além disso, implica descumprimento pelo Brasil de Convenção Internacional alusiva aos Direitos da Criança, a qual nosso país se obrigou a atender por força do Decreto 99.710/90.

Lembramos que o Brasil adota um sistema especializado de julgamentos e medidas para crianças acima de 12 anos, o que está em absoluta sintonia com a maioria e as melhores experiências internacionais. Neste passo, cremos que eventual revisão do Estatuto da Criança e do Adolescente é o caminho mais indicado para que alguns aperfeiçoamentos possam ser efetuados, preservando-se contudo a Constituição e as Convenções Internacionais.

Assim, dirigimo-nos à Nação com esse chamamento ao debate e a um movimento contrário à redução da maioridade penal, passando-se a priorizar medidas que realmente possam enfrentar a criminalidade e a violência.

Flávio Dino - Governador do Estado do Maranhão

Paulo Câmara - Governador do Estado de Pernambuco

Camilo Santana - Governador do Estado do Ceará

Ricardo Coutinho - Governador do Estado da Paraíba

Wellington Dias - Governador do Estado do Piauí

Rui Costa - Governador do Estado da Bahia

Siga nosso perfil no Twitter e curta nossa página no Facebook