terça-feira, 15 de abril de 2014

Marina Silva confirma que será vice de Eduardo Campos


Por Hugo Freitas

A ex-ministra do Meio Ambiente durante o governo Lula, Marina Silva (PSB), confirmou nesta segunda-feira (14) sua pré-candidatura à vice-presidência na chapa do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Em evento organizado pelo partido em Brasília, Marina afirmou que irá caminhar ao lado de Eduardo pelo país. "Graças a Deus e à confiança que estamos criando entre nós, estamos aqui hoje para anunciar as nossas pré-candidaturas: você, a presidente da República Federativa do Brasil, e eu, a sua vice. Eu estou aqui para me colocar lado a lado com você. Vamos andar esse país inteiro", anunciou Marina.

A ex-ministra de Lula lembrou das dificuldades que enfrentou no processo de legalização do Rede Sustentabilidade, cujo registro foi negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e que a possibilidade de se filiar ao PSB estava o tempo todo à sua frente.

"Naquele dia em que eu saí daquele tribunal, era a fraqueza em pessoa, mas eu lembrei que o ser humano é incompleto, depende da completude do outro, e naquele momento o outro disponível para esse projeto era o PSB na figura de Eduardo Campos", afirmou Marina.

O anúncio oficial da chapa Eduardo/Marina deverá ser divulgado apenas em junho, após o período das convenções partidárias. Mas a antecipação nesta segunda-feira pôs fim às inúmeras especulações que rondavam tal aliança, inclusive a de que ela não "vingaria".

A oposição à dupla petista Lula/Dilma, que já contava com a antiga polarização com os tucanos, hoje capitaneada pelo presidente do PSDB, Aécio Neves, será incrementada com os dissidentes do "lulo-petismo", Eduardo e Marina.

Vale ressaltar que Campos e Aécio já possuem um acordo firmado para se aliarem num eventual segundo turno nas eleições presidenciais.

A briga promete ser boa!

Acompanhe o Blog do Hugo Freitas pelo Twitter e Facebook

CPI da Petrobrás pode ser o "Calcanhar de Aquiles" tanto do governo quanto da oposição

Dilma Rousseff e Graça Foster

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, vai participar nesta terça-feira (15) de uma audiência no Senado para falar sobre as denúncias de irregularidades envolvendo a estatal.

Entre os temas que Graça Foster deve abordar, está a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. A transação é investigada pela Polícia Federal e pelo Tribunal de Contas da União por suspeita de superfaturamento.

A oposição disse que vai querer ouvir a presidente da estatal também sobre a construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e os negócios da Petrobras na Argentina, alvo de inquérito da Polícia Federal.

Graça Foster ainda deverá falar sobre dados relativos à gestão que levaram à perda do valor patrimonial da empresa e à queda no faturamento.

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que lidera o grupo que pleiteia a instalação de CPI para investigar a Petrobras, tem criticado o modelo das audiências públicas no Senado. Ele questiona que não é possível debater com o depoente, que responde a perguntas feitas em bloco. “Ela vai responder o que desejar.”

CPI

Também nesta terça-feira o plenário do Senado votará o relatório que definirá a abrangência das investigações na CPI. A oposição quer uma CPI exclusivamente para investigar a Petrobras.

Já os parlamentares aliados ao governo tentam instalar uma comissão para apurar também as suspeitas de cartel no Metrô de São Paulo e irregularidades no Porto de Suape, em Pernambuco - estados administrados pelo PSDB e PSB.

Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça decidiu que a CPI será ampla, mas a palavra final será dada pelo plenário. A oposição argumenta que, ao acrescentar outros temas, o governo pretende “embaralhar” a comissão de inquérito a fim de evitar uma investigação aprofundada sobre a Petrobras.

Há ainda expectativa entre os senadores de que, na próxima semana, a ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber dê decisão liminar (provisória) sobre qual comissão – a da oposição ou a do governo – deverá ser instalada no Senado.

Comentário:

Pelo visto, a CPI da Petrobrás pode ser o "Calcanhar de Aquiles" tanto do governo petista-peemedebista de Dilma Rousseff, quanto da oposição tucano-socialista de Aécio Neves e Eduardo Campos.

Em ano eleitoral, denúncias de irregularidades dessa envergadura sobre a maior estatal brasileira tendem a ser direcionadas para outras veredas, a fim de uma tentativa de "blindagem" do governo PT/PMDB e, ao mesmo tempo, de "contra-ataque" à oposição do PSB/PSDB.

Com informações do portal G1 Brasília

Acompanhe o Blog do Hugo Freitas pelo Twitter e Facebook

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Prefeitura de São Luís inicia instalação de novos abrigos para usuários do transporte coletivo

Os dois primeiros novos abrigos foram instalados na Av. Beira Mar, em frente à Rffsa

Para garantir o conforto dos usuários do transporte público e melhorar a qualidade dos serviços prestados, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria de Trânsito e Transportes (SMTT), está implantando novas estações de abrigo para passageiros em pontos de ônibus. Serão fixadas 50 novas unidades até o final do semestre, distribuídas nos principais corredores e vias da capital.

O secretário de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, explica que as novas estações a serem implantadas irão contribuir para a comodidade dos usuários e melhoria estética da paisagem urbana, valorizando a arquitetura da cidade.

“O prefeito Edivaldo Holanda Júnior determinou que os abrigos fossem, de fato, abrigos, que protejam as pessoas da chuva e do sol forte e é isso que iremos oferecer, com qualidade e durabilidade. Também estamos trazendo um design sofisticado, limpo e visualmente agradável, para deixar a cidade ainda mais bonita”, destaca o secretário.

Construídas com ferro galvanizado e acrílico, com 13 metros de comprimento, as duas primeiras estações estão sendo instaladas na Rffsa, contemplando requisitos fundamentais como cobertura, assento e acessibilidade. Outras dez novas estações semelhantes serão instaladas nos principais corredores e vias da capital.

“Os demais abrigos que iremos instalar serão menores, para contemplar as necessidades das comunidades e bairros que precisam mais urgentemente de abrigos de ônibus para os passageiros”, explica Canindé Barros.

Com a implantação dos abrigos nos pontos de ônibus, a Prefeitura de São Luís contribui para oferecer maior qualidade nos serviços de transporte público da cidade. Serão contemplados os bairros do Turu, Cohab, Calhau, Monte Castelo, Alemanha, São Francisco, Cohatrac, Vinhais, dentre outros.

Em 2013, no primeiro ano da gestão Edivaldo Holanda Júnior, 80 novos abrigos foram instalados. A meta da Prefeitura de São Luís é instalar 220 novos abrigos até o final deste ano, beneficiando os mais de 500 mil usuários do transporte coletivo da capital.

Acompanhe o Blog do Hugo Freitas pelo Twitter e Facebook 

O RECRUDESCIMENTO DA DISPUTA PARTIDÁRIA PELA VAGA DE VICE NA CHAPA DE FLÁVIO DINO


Por Hugo Freitas

Como era esperado, causou muita efervescência no cenário político maranhense a divulgação da carta em conjunto elaborada pelos dirigentes do PSDB e PPS na qual pressionam o PCdoB a "rediscutir" a composição da chapa majoritária de Flávio Dino.

Tucanos e popular-socialistas querem aproveitar a crise instalada no grupo governista por conta do "fico" da governadora Roseana Sarney (PMDB) e do "saio" do ex-secretário de Infra-estrutura, Luís Fernando (PMDB), e compor com a chapa comunista, a maior beneficiada com o desmoronamento da até então aparente coesão dos caciques governistas (entenda aqui).

Na carta comunal, PPS e PSDB defendem abertamente a "unidade das oposições", alertando para a "urgente necessidade de realinhamento" que passa pela "rediscussão da chapa majoritária do candidato da oposição".

Contudo, os dirigentes das duas siglas que ainda buscam reforçar seus específicos projetos eleitorais salientaram uma importante ressalva ao final da "carta-bomba", interpretada como um "ultimato" ao comando da campanha eleitoral de Flávio Dino:

"Caso não sejam criadas as condições objetivas que viabilizem essa aliança, PPS e PSDB lançarão projeto próprio fundamentado em um programa de governo que promova desenvolvimento com sustentabilidade e a inclusão social de milhares de maranhenses" (confira a íntegra da carta do PPS/PSDB aqui).

Declarações de Márcio Jerry devem aumentar a disputa pela vaga de vice na chapa comunista

O efeito foi imediato. O presidente estadual do PCdoB, jornalista Márcio Jerry, declarou em seu perfil no twitter que irá se reunir nesta quinta-feira (10) com os dirigentes das duas siglas ainda não alinhadas: “Liguei ainda ontem à noite para a presidente do PPS, Eliziane Gama, e do PSDB, Carlos Brandão, para marcar reunião e dialogar sobre a carta".

No calor do otimismo manifestado pelo dirigente comunista com a divulgação do texto do "Bloco PPS/PSDB", Jerry afirmou que são inamovíveis as candidaturas de Flávio ao Governo e Roberto Rocha (PSB) ao Senado, deixando claro que apenas a vaga de vice ainda está em aberto:

"Na construção da unidade oposicionista definimos as pré-candidaturas de Flávio Dino ao governo e Roberto Rocha ao senado. Avançaremos democraticamente para definir vice e suplências ao senado, bem como composições proporcionais", declarou Jerry.

A afirmação do dirigente da foice e do martelo no Maranhão deve provocar novas reações no consórcio oposicionista dinista, vez que o PDT indicou o empresário do agronegócio Márcio Honaiser para vice de Flávio debaixo de um conturbado processo de "escolha", escancarando de vez as vísceras da crise na sigla trabalhista (leia aqui).

A "indicação" de Honaiser para vice foi conduzida diretamente pelo secretário-geral da legenda, deputado federal Weverton Rocha, que pode romper com o bloco dinista e lançar uma candidatura própria ao Governo (provavelmente com Hilton Gonçalo, ex-prefeito de Santa Rita), caso os comunistas maranhenses não cumpram o acordo firmado entre os "companheiros" desde 2012.

Por sua vez, ao pressionarem sobre a "rediscussão da chapa majoritária do candidato da oposição" sob ameaça de candidatura própria, PPS e PSDB almejam irrefreavelmente as vagas de vice e de senador, provavelmente para Eliziane Gama e João Castelo, respectivamente. Sede esta que não será saciada apenas com "suplências", principalmente para um partido do tamanho do PSDB maranhense.

Do seu turno, depois de todas as "discussões" literalmente travadas dentro do consórcio oposicionista, Roberto Rocha e o PSB não vão aceitar abrir mão do Senado em hipótese alguma, o que pode, a priori, direcionar o olhar de tucanos e popular-socialistas para as eleições proporcionais, na busca pelas garantias de reeleição dos mandatos de Pinto Itamaraty e Carlos Brandão (deputados federais), Neto Evangelista e Gardênia Castelo (deputados estaduais) e de lançamento das candidaturas de Eliziane Gama e João Castelo para deputado federal, o que diminuiria o ímpeto do PPS e do PSDB pelas vagas de vice e de senador.

Isso sem contar com o assédio incessante do PCdoB sobre o PT local depois do "saio" de Luís Fernando e do "cheguei" de Edinho Lobão, visando a uma (im)provável ruptura entre petistas e peemedebistas (já que a nível nacional contraria os interesses do "projeto maior" que é a reeleição de Dilma Rousseff), o que potencializaria ainda mais a candidatura de Flávio Dino, por um lado, e recrudesceria a concorrência pela vaga de vice (e até mesmo pela vaga de senador) na chapa comunista, por outro.

Há de haver uma boa engenharia política para colocar tantos "caciques" e interesses debaixo do mesmo guarda-chuva, sob pena de, mais uma vez, o sonho repetido das "Oposições Coligadas" naufragar no cais.

Acompanhe o Blog do Hugo Freitas pelo Twitter e Facebook

quarta-feira, 9 de abril de 2014

A "ACLAMAÇÃO" DE ASTRO DE OGUN PARA A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA DE VEREADORES

Todos os 31 vereadores de São Luís "aclamaram" o novo presidente do Parlamento municipal

Por Hugo Freitas

Os trinta e um vereadores presentes no Plenário Simão Estácio da Silveira, na manhã desta quarta-feira (09), disseram SIM para o vereador Astro de Ogum (PMN), que foi aclamado como o novo presidente da Câmara Municipal de São Luís para comandar os destinos do Parlamento da capital maranhense no biênio 2015/2016.

Após ser confirmado como o novo dirigente do Legislativo Ludovicense, Astro ocupou a tribuna para falar sobre os trabalhos realizados na Casa e a implantação de novos projetos, como Câmara Itinerante, Ouvidoria do Parlamento, assistência médica aos servidores, instalação do painel eletrônico no plenário, além da construção da nova sede da Câmara Municipal.

A votação contou com uma presença, no mínimo, inusitada: a do vereador Isaías Pereirinha (PSL), afastado por licença médica há cinco meses, mas com saúde suficiente para presidir a sessão que sagrou Ogun presidente. Astro era o substituto de Pereirinha durante o afastamento deste.

Em tempos de investigação "sigilosa" sobre o "Caso Bradesco" envolvendo os 31 vereadores da capital maranhense (confira aqui), não é de se estranhar que TODOS tenham votado a favor de Astro de Ogun para a presidência do Parlamento municipal. Afinal, nada melhor do que se "abrigar" em torno do líder do Legislativo ludovicense para se proteger melhor da chuva.

Veja como ficou a nova composição da mesa-diretora da Câmara de Vereadores de São Luís:

Presidente - Astro de Ogum, 1º vice - Francisco Carvalho (PSL), 2º vice - Josué Pinheiro (PSDB), 3º vice - Ricardo Diniz (PHS), 1º secretário - Pavão Filho (PDT), 2º secretário - Pedro Lucas (PTB), 3º secretário - Marlon Garcia (PTdoB), 4º secretário - Paulo Luiz (PRB) e 5º secretário - Professor Lisboa (PCdoB).

Leia também:


Acompanhe o Blog do Hugo Freitas pelo Twitter e Facebook