terça-feira, 19 de julho de 2011

Líderes estudantis maranhenses promovem confusão em Goiânia

No último sábado (16), durante plenária do Congresso da UNE – União Nacional dos Estudantes, ocorrida na cidade de Goiânia e reunindo lideranças estudantis de todo país, a delegação do Maranhão iniciou um tumulto que terminou em pancadaria.

Os estudantes maranhenses começaram a brigar entre si. Duas facções lideraram a baderna: uma composta por velhos conhecidos do movimento estudantil do Maranhão - Marcony Edson (UEMA), ex candidato a vereador pelo PPS e Ana Paula Ribeiro (CEUMA), ex presidente da FESMA – Federação dos Estudantes do Maranhão ligada ao deputado estadual Roberto Costa (PMDB) - e a outra facção liderada pela assessora do Presidente da Assembleia Legislativa (Arnaldo Melo), Dayana Roberta (UFMA), que também é ligada ao Deputado Federal Waldir Maranhão, todos filiados ao Partido Progressista.

Durante a confusão, Dayana Roberta foi cercada pela facção rival e só não levou mais sopapos porque seus colegas rapidamente fizeram um cordão de isolamento para livrá-la da fúria de Marcony Edson e Ana Paula. Veja o vídeo.




Entenda o caso:

O Congresso da UNE – União Nacional dos Estudantes, elegeu no dia 16 de julho, com mais de 75% dos votos, Daniel Iliescu (26 anos) como seu mais novo presidente. Filiado ao PCdoB, a vitória de Daniel contou também com o apoio de lideranças de vários partidos ligados ao governo federal.

Dominada pela UJS - braço do PCdoB no movimento estudantil - a UNE recebe milhões em forma de verbas públicas desde o primeiro mandato de Lula e é disputada a tapa por dezenas de facções políticas da base aliada do governo petista.

Para se ter uma ideia, apenas o congresso da UNE teve custo de R$ 4 milhões, financiados com verbas da Petrobras e com infraestrutura cedida pelo governo de Goiás e pela Prefeitura de Goiânia.

No Congresso da UNE, a briga rolou solta entre membros do PT, PCdoB, PMDB, PTB, PP e outros partidos. Em relação à delegação maranhense, a briga ocorreu justamente por conta da visibilidade política e rentabilidade financeira que a UNE proporciona atualmente. No vídeo, aparecem pelo menos três figurinhas carimbadas do aparelhado movimento estudantil maranhense:

1 – Ana Paula Ribeiro:

Ana Paula, no Centro da faixa, ao lado do antigo aliado Weverton Rocha. Empenhada em ser a líder jovem do clã Sarney no movimento estudantil.

Presidente da FESMA entre 2005 e 2009, Ana Paula Ribeiro faz da “militância estudantil” uma espécie de trampolim para conseguir prestígio junto ao Palácio dos Leões. Está sempre liderando arruaças patrocinadas por políticos ligados a Sarney.

Em 2008, ela liderou um protesto contra a visita do Presidente da Venezuela, Hugo Chavez, ao Maranhão, ainda no início do governo Jackson Lago. Ao tentar impedir que a comitiva do presidente venezuelano saísse do Aeroporto Cunha Machado em São Luís, Ana Paula e demais manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar, que usou gás de pimenta para reprimir a manifestação.

No ano seguinte, Ana Paula atacou novamente, desta vez na confusão armada durante o lançamento do livro “Honoráveis Bandidos – um retrato do Brasil na era Sarney”, do jornalista Palmério Dória. Acompanhada de 15 manifestantes enviados pelo Deputado Roberto Costa para tumultuar o lançamento do livro na sede do sindicato dos bancários, Ana Paula foi aos tapas até com o deputado federal Domingos Dutra do PT (LEIA AQUI).

Veja o vídeo da confusão épica no lançamento do livro "Honoráveis Bandidos" em São Luís, no ano de 2009.




2 – Marcony Edson:

Marcony Edson, há pelo menos duas décadas no Movimento Estudantil Maranhense. Militância e truculência como meio de ganhar a vida.

Ex-estudante da UEMA, onde permaneceu por mais de 15 anos sem concluir o curso de Medicina Veterinária, Marcony Edson tem ficha corrida longa em arruaças. Atua desde a década de 90 do século passado, quando iniciou a “carreira” como diretor da UMES. Sua especialidade é boicotar eventos promovidos pelos adversários políticos da ocasião.

Ele foi, por exemplo, um dos líderes da confusão generalizada ocorrida em 2009 no lançamento do livro “Honoráveis Bandidos”, no qual várias pessoas saíram feridas. No episódio de Goiânia, Marcony aparece ao lado de Ana Paula, a mesma que o denunciou por agressão no episódio do lançamento do livro de Palmério Dória, mas é velho conhecido no meio por liderar confusões e brigas em eventos ligados ao movimento estudantil pelo Maranhão afora.

3 – Dayana Roberta:

Dayana Roberta ao lado do atual Presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Mello: "minha sorte é que eu estava de calça jeans, e sapato fechado, por que senão eu estaria morta… ”

A moça que aparece encurralada no vídeo pela facção de Marcony e Ana Paula é filiada ao Partido Progressista, assessora do Presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Arnaldo Mello e do Deputado Federal Waldir Maranhão, para os quais trabalhou como cabo eleitoral nas eleições de 2010. Ligada ao movimento estudantil da UFMA, Dayana faz oposição à UJS que domina o DCE da Universidade e usou sistematicamente a condição de “líder estudantil” para angariar uns votinhos para seus padrinhos do PP. Ao falar da confusão em Goiânia, ela declarou ter sido agredida:

“(…) fui vítima da violência dessa senhora (Identificada como Milena Oliveira, terceira secretária de políticas públicas do Partido Progressista do Maranhão) , que estava com trinta mulheres, para me bater, por que disseram que falei algo sobre ela. O que não procede, por que estava com os (as) delegados (as) da UFMA, no Estádio (Ginásio onde foi realizado o Congresso da UNE) discutindo as teses, que seriam aprovadas. E Marcony deu o aviso, para o Coordenador do DCE da UFMA Gustavo Santos e Kleyson Moreira estudante de Filosofia, que me avisaram. Ele tinha pedido para os meninos, me tirarem da plenária, o que eles não fizeram. E quando menos espanto, ele chega e fica me observando da escada, quando uma dita representante do movimento estudantil do Maranhão – Ana Paula Ribeiro (ex – representante da UBES) aparece para me culpar, dizendo que estava falando da força deles, depois veio Milena com as mulheres – ela deixou bem enfática que era, pra eu respeitar cara de mulher, e partiu pra cima. Muitas me agrediram, puxaram meus cabelos e na ocasião fui agredida por homens”.

Como se vê, o Movimento Estudantil Maranhense é, na prática, o braço armado dos Partidos Políticos.

Editado por: Hugo Freitas

6 comentários:

  1. Movimento Estudantil?Isso nem no maranhão existe e ainda foram pra goiania fazera a gente passar vergonha..o CONUNE nada mais é um congresso por interesses politicos,onde a maioria vai só para encher a cara e fazer turismo...#fato

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, companheiro Josélio, os poucos e combalidos movimentos e organizações estudantis sobreviventes neste país, além de serem (em sua ampla maioria, para não dizer "todos") utilizados como instrumentos de manobra por partidos políticos, ainda promovem arruaça e confusão, mostrando seu total despreparo e imaturidade para o debate político, onde a agressão física se sobrepõe ao diálogo e ao contraditório.

    Grato pela participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  3. Rap maracone ja era da uema quando tava saindo do seconda , assim como um povo do pc daqui Leo e outros

    ResponderExcluir
  4. Rielda Alves ☭♥ ­♀20 de julho de 2011 14:13

    Triste fim esse da UNE, enquanto isso o Movimento Estudantil combativo se reconstroi com democracia, independência e luta. Vê materia no site do Diario Liberdade: http://bit.ly/rkGRjE

    ResponderExcluir
  5. Boa indicação, Rielda.

    Indico a todos. Leiam, reflitam e comentem aqui no blog. Esse assunto ainda tem outras vertentes de discursividade ainda não exploradas, como o fato gravíssimo de agressão covarde contra mulheres, independentemente de quaisquer que sejam os motivos.

    Grato pela participação de vcs. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  6. O DCE da UFMA não é liderado pela UJS!

    ResponderExcluir

Grato pela participação.