quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Morre o jornalista Joelmir Beting, aos 75 anos

Joelmir Beting (* 21/12/1936 + 29/11/2012)

Por Hugo Freitas

Morreu na madrugada desta quinta-feira (29), por volta da 1h, o jornalista Joelmir Beting, de 75 anos, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 22 de outubro para tratar de uma doença autoimune.

Ele respirava com auxílio de aparelhos desde o último domingo (25), após sofrer um acidente vascular encefálico (AVE) hemorrágico.

A doença autoimune é um problema que surge quando o sistema imunológico ataca e destrói, por engano, tecidos saudáveis do organismo.

Joelmir havia entrado em estado de coma irreversível na quarta-feira (28). Nesta madrugada, o hospital divulgou uma nota de falecimento: "O Hospital Albert Einstein comunica, com pesar, o falecimento do jornalista Joelmir Beting, em decorrência de acidente vascular encefálico (AVE) hemorrágico à 1h desta manhã".

Ainda não há informações sobre o local de velório e sepultamento do corpo do jornalista.

Joelmir Beting era casado desde 1963 com Lucila e teve dois filhos: o também jornalista Mauro Beting e o publicitário Gianfranco. Mauro, pelo Twitter, postou uma mensagem confirmando a morte do pai: "Um minuto de barulho por Joelmir Beting. 21/12/1936 - 0h55 de 29/11/2012".

Carreira

Nascido em 21 de dezembro de 1936 na cidade de Tambaú, interior paulista, Joelmir Beting trabalhava atualmente na TV Bandeirantes, onde fazia comentários e apresentava o programa dominical "Canal Livre".

Joelmir cursou sociologia na USP e iniciou a carreira jornalística em 1957 na Rádio Jovem Pan e nos jornais "O Esporte" e "Diário Popular", como repórter esportivo, mas resolveu partir para o noticiário econômico.

No final dos anos 60, assumiu a editoria de economia da "Folha de S.Paulo". Em 1991, ele se transferiu para o jornal "O Estado de S. Paulo", onde permaneceu até janeiro de 2004.

Joelmir também escreveu dois livros e ensaios em revistas semanais e passou pelas tevês Gazeta, Globo e Record.

Com informações do jornal Estadão

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Esse aí está difícil... Dizem que vaso ruim não quebra fácil. Enfim...

      Excluir

Grato pela participação.